Caryocar villosum (Aubl.) Pers. – Caryocaraceae

amêndoa-de-espinho (AM) · grão-de-cavaio (AM) · piqui · piquiá · piquiá-verdadeiro · pequiarana

  • CARACTERÍSTICAS GERAIS: cerne marrom-pálido-acinzentado a marrom-muito-pálido, distinto do alburno branco a amarelo-pálido. A cor do alburno pode ser alterada para cinza-acastanhada-clara, devido ao ataque de fungos. Anéis de crescimento pouco distintos, grã revessa, textura média, brilho ausente e cheiro imperceptível.
  • DENSIDADE: madeira de densidade média, com densidade a 12% de umidade de 780 kg/m3 e densidade verde de 1.170 kg/m3.
  • SECAGEM: lenta, quando seca ao ar, com tendência a rachaduras. A secagem em estufa é muito lenta, apresentando pequena tendência a rachaduras superficiais, a encanoamento e encurvamento médios, a arqueamento e colapso fortes e moderada tendência a torcimento forte, quando utilizado o programa de secagem 2.
  • TRABALHABILIDADE: difícil de ser trabalhada, tanto com ferramentas manuais quanto mecânicas. Produz superfície áspera, depois de aplainada, devido à grã revessa. Bom acabamento em pintura, verniz, polimento e emassamento. Pode causar urticária em quem trabalha com ela.
  • DURABILIDADE: alta resistência ao ataque de cupins e fungos.
  • PRESERVAÇÃO: o alburno é muito fácil de tratar com creosoto e o cerne não é tratável com creosoto e nem com CCA-A, mesmo sob pressão.
  • USOS: construção civil e naval, portais, alizares, carrocerias de caminhão e outros.

Fonte: Laboratório de Produtos Florestais – IBAMA-Brasília.